H.N. Adaptações

Informativo
Cadeira de Rodas PDF Imprimir E-mail
 

A Justiça Federal determinou que a Agência Nacional de Aviação Civil exija o transporte "gratuíto e incondicional" de cadeiras de rodas nas aeronaves de companhias aéreas brasileiras. O Ministério Público Federal em São Paulo moveu a ação civil pública após uma mulher reclamar que era obrigada a pagar pelo transporte da cadeira do filho. A ANAC será notificada na próxima semana.

Fonte: Gazeta do Povo -  Caderno Vida e Cidadania - em 12/01/2014

 

 
Programa de Saúde Bucal para Pessoas com Deficiência PDF Imprimir E-mail
 

 
Piercing move cadeira de rodas PDF Imprimir E-mail
 

O que era uma questão puramente estética se tornou uma ferramenta e tanto para auxiliar pessoas com paralisia física. Um estudo do Georgia Institute of Technology, dos Estados Unidos, testou a eficiência de sensores de movimento em piercings de língua para cadeiras de rodas e até mexer em computadores. A notícia foi divulgada pela BBC News.

Segundo a publicação, o piercing, que tem o tamanho de um mísero feijão, é acoplado a dois sensores que ficam nas bochechas. Por meio desse conjunto, o aparelho produz um campo magnético que gera impulsos eletrônicos capazes de controlar os objetos. Os testes foram feitos com 23 pessoas sem paralisia e com 11 tetraplégicos com sucesso.

Mas não é só porque há pessoas que se movimentam apenas do pescoço para baixo que a língua foi eleita o órgão ideal para o dispositivo. Em entrevista à BBC, os coordenadores da pesquisa disseram que o pedacinho de carne apresenta algumas vantagens, como a flexibilidade e o fato de exigir que uma grande parte do cérebro seja usada para movimentá-la. Mais do que uma questão de beleza, os piercings viraram um item de praticidade para quem realmente precisa.

Fonte: Gazeta do Povo - em 07/12/2013

 
Especialista nacional participa da Câmara Técnica de Curitiba PDF Imprimir E-mail
 

Um dos maiores nomes na área da inclusão da pessoa com deficiência no Brasil, Romeu Kazumi Sassaki ministrou nesta quarta-feira (4) uma palestra na reunião mensal da Câmara Temática de Acessibilidade (CTA). Foto: Everson Bressan/SMCS

Um dos maiores nomes na área da inclusão da pessoa com deficiência no Brasil, Romeu Kazumi Sassaki ministrou nesta quarta-feira (4) uma palestra na reunião mensal da Câmara Técnica de Acessibilidade (CTA), organizada pela Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Sassaki destacou a importância da existência da CTA em Curitiba, "um trabalho pioneiro e ainda raro no restante do país". O ativista debateu as ações já realizadas na área da inclusão na capital paranaense, o que ainda é preciso fazer e os pontos que podem ser avançados para garantir os direitos da pessoa com deficiência.

"Está havendo hoje no Brasil um despertar de que a acessibilidade é um assunto obrigatório, que interessa a toda sociedade, não apenas às pessoas com deficiência. Todos se beneficiam e precisam de uma cidade acessível", afirma Sassaki, que desenvolve ações para beneficiar as pessoas com deficiência há 53 anos.

Segundo ele, a acessibilidade tem sido discutida e aplicada em vários pontos do país, apesar de algumas dificuldades. "Temos resistência principalmente por parte de alguns gestores públicos, que poderiam dar melhores exemplos para o setor privado. Mas há também gestores muito comprometidos com a questão da acessibilidade, que estão à frente nas ações da área", confirma. 

Em sua visão, Curitiba é uma cidade com ótima acessibilidade se comparada com outras grandes cidades brasileiras, principalmente na questão de ruas e avenidas. Ele lembra que a questão é mais difícil nos edifícios e que Curitiba tem algumas construções antigas, que apresentam dificuldades para a melhoria da acessibilidade. "Mas muitos prédios novos também continuam sendo construídos com barreiras para as pessoas com deficiência. Isso acontece no Brasil inteiro e se não houver câmaras técnicas como a de Curitiba, os conselhos municipais e estaduais, não vamos encontrar soluções. É preciso mobilização", revela.

Segundo Francielle Lucena, presidente da CTA e coordenadora de acessibilidade da Secretaria da Pessoa com Deficiência, a proposta da reunião mensal intersetorial é fazer com que as políticas públicas da cidade sejam pensadas de forma inclusiva. "Através da Câmara Técnica, conseguimos que as áreas envolvidas tenham em foco o pensamento inclusivo, lembrando que as ações também devem englobar as pessoas com deficiência. É uma mudança de pensamento na organização da cidade", destaca.

Além da Secretaria da Pessoa com Deficiência, compõem a CTA representantes das secretarias municipais de Governo, Educação, Obras Públicas, Meio Ambiente, Urbanismo, Abastecimento, Assuntos Metropolitanos, Trabalho e Emprego, Esporte Lazer e Juventude, Trânsito, Planejamento, além do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba, Instituto Municipal de Turismo, Urbanização de Curitiba S.A, Fundação de Ação Social e Fundação Cultural de Curitiba.

Fonte: SEDPcD - em 04/12/2013

 
BB reduz juros de linha de crédito para deficientes físicos PDF Imprimir E-mail
 

 

Mão na cadeira de rodas: Até 100% do valor do bem ou serviço pode ser financiado e o limite do crédito é de 30 mil reais

 São Paulo - Foram reduzidas as taxas de juros praticadas no BB Crédito Acessibilidade, linha de crédito do Banco do Brasil destinada ao financiamento de bens e serviços de tecnologia para deficientes físicos. As taxas passaram de 0,57% ao mês para 0,41% (de 7% para 5% ao ano) ao mês para clientes com renda de até cinco salários mínimos, e de 0,64% ao mês para 0,45% ao mês (de 8% para 5,5% ao ano) para clientes com renda entre cinco e dez salários mínimos.  

Para efeito de comparação, as taxas das linhas de crédito pessoal, segundo informações do Banco Central, variam entre 3,06% a 4,80% ao mês -ou 43,51% e 75,91% ao ano -, entre os bancos grandres (dados referentes a setembro de 2013). 

Até 100% do valor do bem ou serviço pode ser financiado e o limite do empréstimo é de 30 mil reais por pessoa. As parcelas são debitadas da conta corrente do cliente, que pode quitar o empréstimo em prazos que variam de 4 a 60 meses, sendo que a primeira prestação pode ser paga em até 59 dias.

O banco ressalta que o empréstimo é feito tanto para clientes que queiram comprar os equipamentos para uso próprio, quanto para correntistas que queiram comprar os bens para outra pessoa.

Em 2013, os empréstimos da modalidade totalizaram 65 milhões de reais (crescimento de mais de 300% em relação a 2012), que foram destinados a mais de 14 mil clientes. 

O Banco do Brasil passou a disponibilizar o BB Crédito Acessibilidade em fevereiro de 2012, depois que o Governo Federal lançou o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência - Viver Sem Limite, em novembro de 2011.

Podem ser financiados pelo BB Crédito Acessibilidade: cadeiras de rodas, serviços de adaptação de veículos, órteses, próteses, dentre outros.

Mais informações sobre como contratar o crédito e a lista completa de produtos financiáveis pode ser consultada no site do BB.

Fonte: Revista Exame - em 04/12/2013 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 9 de 30